blog

Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
experts

blog

Logo oceane
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
experts
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors
post
experts

Dermatite atópica: nutricionista explica os sintomas

Vem aprender como funciona a dermatite atópica no nosso organismo e quais são as formas de tratamento e prevenção por meio da alimentação.

Flávia Rodrigues

30/10/2023

5 min de leitura

Flávia Rodrigues

5 min de leitura

Você já ouviu falar sobre a dermatite atópica?

A dermatite atópica é uma condição de pele crônica e inflamatória que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Ela é caracterizada por erupções cutâneas, que podem gerar um ressecamento também.

Um ponto importante de ressaltar é que por mais que seja uma condição de pele, ela pode afetar outros sistemas, como o intestino.

Embora os medicamentos para o tratamento serem super conhecidos, existe um grande crescimento de evidências que sugerem que a alimentação e a nutrição também desempenham um papel fundamental nesse cuidado!

E se você chegou até aqui, saiba que nesse artigo vamos explorar a conexão entre a alimentação, a nutrição e a dermatite atópica, avaliando como certos alimentos podem desencadear ou agravar os sintomas da doença.

Também vamos analisar quais estratégias nutricionais podem ajudar a aliviar o desconforto e melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem com essa condição. Confira!

O que é a dermatite atópica?

A dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, é uma doença de pele crônica caracterizada por erupções cutâneas vermelhas, coceira intensa e pele ressecada.

Essa condição afeta cerca de 20% das crianças, mas pode persistir na idade adulta ou até mesmo se desenvolver mais tarde na vida, os dados encontrados na literatura é que aproximadamente 10% dos adultos apresentam essa condição.

A causa exata da dermatite atópica ainda não é totalmente compreendida, mas acredita-se que fatores genéticos e de estilo de vida, desempenhem um papel importante.

Alimentação e a inflamação da pele

A inflamação tem um papel central na dermatite atópica, e muitos estudos científicos têm demonstrado que a alimentação desempenha um papel crítico na modulação dessa inflamação.

Alguns alimentos, principalmente os mais ricos em açúcares refinados, gorduras saturadas e aditivos artificiais, podem contribuir para a inflamação, tornando os sintomas da dermatite atópica mais severos.

Quando pensamos em alimentação e inflamação alguns pontos estão envolvidos, como nesse caso o intestino.

Por isso é muito importante evitar excesso de alimentos que possam ser ruins para saúde intestinal e também explorar, um maior consumo de alimentos que ajudem no reforço da barreira intestinal e equilíbrio entre bactérias.

Alimentos a evitar

  • Açúcares refinados: alimentos ricos em açúcares refinados, como doces, bolos, biscoitos e bebidas açucaradas como refrigerantes, sucos e energéticos, podem desencadear picos de insulina que, por sua vez, podem agravar a inflamação na pele.
  • Alimentos processados: muitas vezes podem conter aditivos, conservantes e corantes artificiais, que podem desencadear reações alérgicas e inflamação na pele.
  • Alergenos alimentares: algumas pessoas com dermatite atópica podem ser sensíveis a certos alimentos, como laticínios, ovos, trigo, soja e amendoim. Identificar como o seu corpo responde ao consumo desses alimentos e avaliar uma redução no consumo, pode ser crucial para controlar os sintomas.

Alimentos que podem ajudar

  • Ômega-3: ácidos graxos ômega-3, encontrados em peixes, têm propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a reduzir a inflamação.
  • Antioxidantes: frutas e vegetais ricos em antioxidantes e vitaminas , como vitamina C, vitamina E e vitamina A, podem ajudar a proteger a pele dos danos. Explore o consumo de alimentos cítricos e mais coloridos com kiwi, manga, laranja, morangos, uvas, açaí puro, brócolis, espinafre, cenoura e beterraba.
  • Água: manter-se bem hidratado é essencial, pois a pele seca é comum na dermatite atópica, consuma ao menos 2 litros de água no dia.

Foto das frutas que possuem resveratrol em sua composição.

Importância da individualização

Cada pessoa é única, e o que funciona para uma pessoa com dermatite atópica pode não funcionar para outra. Portanto, a individualização de tratamento é fundamental!

Consultar um profissional pode ajudar a identificar alérgenos alimentares específicos. Hoje com a evolução da medicina, existem ferramentas e testes para identificar a sua tolerância a esses alimentos.

Estratégias nutricionais

Dieta de eliminação

Em muitos casos, uma dieta de eliminação é usada para identificar alérgenos alimentares específicos que podem estar desencadeando os sintomas da dermatite atópica.

Isso envolve a remoção cuidadosa de alimentos suspeitos da dieta e, em seguida, a reintrodução controlada para observar qualquer reação.

Suplementos

Além de uma dieta equilibrada, a suplementação com ácidos graxos ômega-3, probióticos e antioxidantes pode ser considerada para ajudar a controlar a inflamação e melhorar a saúde da pele.

Também é importante avaliar a carência nutricional de vitaminas (vitamina D, vitamina A, complexo B) e minerais (zinco, magnésio, ferro), que possam ser essenciais para o equilíbrio adequado de todo o corpo.

Controle do stress

O estresse é um dos principais gatilhos para o agravamento dos sintomas da dermatite atópica.

O estresse libera hormônios, como o cortisol, que pode desencadear ou agravar a inflamação da pele.

Manejo do sono

A falta de sono adequado pode enfraquecer o sistema imunológico e agravar a inflamação da pele. Portanto, garantir um sono reparador é vital para o controle da condição.

Olhar abrangente no tratamento

O olhar para dermatite atópica, deve ser multifatorial e não somente para questões tópicas, mas sim para o seu estilo de vida como um todo, que incluem estratégias de gerenciamento do estresse, como meditação, relaxamento e atividade física.

Embora a dermatite atópica seja uma condição desafiadora, a alimentação e a nutrição desempenham um papel importante na sua gestão.

Confira práticas importantes para que seja possível controlar o sintomas, tratando a causa, olhando para dentro:

  • Melhorar escolhas por parte da alimentação;
  • Incluir mais alimentos frescos, menos processados;
  • Trazer um olhar mais cuidado para o processo, escutando mais o seu corpo, identificando alimentos que talvez não estejam te fazendo bem no momento.

No entanto, é crucial lembrar que cada indivíduo é único, e o tratamento deve ser adaptado às necessidades específicas de cada paciente.

Portanto, consultar um profissional de saúde é fundamental para garantir um manejo adequado da dermatite atópica através da alimentação e nutrição.

Espero que esse conteúdo possa te ajudar de alguma forma 🙂

Se você gostou desse conteúdo, confira aqui como a alimentação pode afetar a sua pele de outras formas.

compartilhe